quinta-feira, 6 de julho de 2017

The Fits

"The Fits" (2015) dirigido pela estreante Anna Rose Holmer abarca o tema rito de passagem feminino com um quê de mistério e passeia pelo suspense ao retratar um certo tipo de histeria que acomete as meninas e que seria contagioso, uma excelente e intrigante metáfora para explicitar o quão difícil é o despertar da adolescência feminina.
Toni (Royalty Hightower), tem 11 anos de idade e sua rotina se resume a treinar boxe junto de seu irmão que também cuida do ginásio, constantemente ela está em meio aos rapazes, mas Toni ao visualizar as aulas de dança das meninas que se preparam para uma competição se apaixona pela confiança e força dos movimentos, não demora e ela entra no grupo, porém não é muito aceita e desde antes era motivo de risos por estar dentro do mundo masculino, então se esforça ao máximo para aprender os passos e fazer parte do grupo, o desejo de ser aceita vem com outras descobertas e transformações. De repente, começa a acontecer surtos epilépticos nas meninas mais velhas e que deixam as menores com medo, pois diz-se que é contagioso, e à medida que a narrativa se desenrola novos ataques são retratados e Toni vai descobrindo esse mundo novo que se abre diante de si.
Toni é uma menina que até então teve apenas referências masculinas e que inspirada pelo irmão praticava boxe e se socializava apenas com os garotos, as conversas eram sobre meninas e sexo, o que acabava a isolando independentemente de estar no meio. Ao se inserir no mundo da dança ela encontra novas possibilidades e a partir do momento que ela se conecta ao grupo vai experimentando e se redefine.
A interpretação de Royalty Hightower é delicada e profunda, somos conduzidos por suas expressões e gestuais, a câmera fixa em seu rosto por vários momentos e nos tornamos cúmplices, o filme não possui muitos diálogos, a potência está justamente nas imagens, Toni vai vivenciando os seus anseios, como na cena em que fura a orelha para pôr os brincos, um símbolo que identifica as meninas dos meninos, ou quando passa o esmalte, dessa maneira, consequentemente, vai conhecendo a si mesma e achando seu lugar.

"The Fits" é um filme independente com atrizes amadoras da comunidade local, Royalty Hightower é um achado e merecia ganhar diversos prêmios por ter desempenhado seu papel com tamanha beleza, outro destaque são as cenas de dança tão enérgicas e que fazem um elo magnífico com o despertar e as sensações que advém disso. De estilo peculiar e ritmo lento, a aura misteriosa permeia a narrativa e expõe toda a complexidade e magia do desabrochar feminino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...