quarta-feira, 12 de julho de 2017

Canções dos Mares do Sul (Pesni Yuzhnykh Morey)

"Uma coisa que eu aprendi foi que o que mantém a vida não é a força, mas o amor."

"Canções dos Mares do Sul" (2008) dirigido por Marat Sarulu (My Brother Silk Road - 2002) é um pequeno épico que emana uma belíssima mensagem de paz e amor, uma obra necessária para compreender que todos estão relacionados, russos e cazaques, cristãos e muçulmanos, europeus e asiáticos. 
Ivan (Vladimir Yavorsky) é russo e seu vizinho, Asan (Dzaidarbek Kunguzhinov), é cazaque. Eles vivem em uma pequena aldeia rural no Cazaquistão. Quando a esposa de Ivan dá à luz um menino moreno, Ivan começa a suspeitar que sua esposa o traiu com Asan. Instaura-se um conflito entre as duas famílias que perdura por muitos anos. Um dia, Ivan resolve viajar, e, ao encontrar seu avô, descobre a verdadeira história de sua família e de seus antepassados. Asan, por sua vez, parte à procura dos "Mares do Sul" em busca de sua paz interior. Enquanto isso, as duas mulheres, abandonadas à própria sorte e tendo de executar todo o trabalho de suas propriedades, deixam de lado seus conflitos e unem-se em seu sofrimento. 
A história apesar de se passar na Ásia central trata de assuntos universais, o preconceito e ódio pelo diferente por medo e ignorância, Ivan fica por 15 anos guardando raiva de Asan, eles sempre se deram muito bem, compartilhando momentos de uma boa amizade, mas o nascimento de seu filho o fez acreditar que sua mulher o traiu com Asan, os traços do menino o fizeram crer nisso, o tempo passa e Ivan recolhido em sua amargura e confrontado pelos familiares de sua esposa que fazem piada por ele ser um simples camponês e não ter sangue cossaco, decide procurar seu avô e saber um pouco mais de sua história e seus antepassados, enquanto isso Asan também mergulhado em tristeza ruma para encontrar os "Mares do Sul", a fim de tirar o peso de seu coração. As mulheres unem-se novamente, dividem as tarefas, bebem e conversam na ausência de seus maridos, já o filho desaparece com seu cavalo pelas estepes.
O avô vendo a dúvida que Ivan tem sobre a honestidade da mulher e amigo lhe conta a história de seus antepassados, a revelação o desarma totalmente, ali ele percebe que todos estão interligados e que nutrir ódio e preconceito é uma estupidez. A rica história contada pelo avô retrata gerações que guerrearam por ódio étnico e religioso e aqueles que também enfrentaram tudo por amor, a multietnicidade não está apenas em seu sangue, mas na da maioria que ali vive, por isso compreender o passado histórico é muito importante para ficar imune a esses conflitos.

O filme foi rodado nas redondezas do Lago Issyk-Kul e sua paisagem é absurdamente fascinante, os vales, as estepes, uma imensidão imersiva que traduz a ampla e vasta diversidade que existe nestas terras, são inúmeros povos que já passaram por ali e que fizeram dessa sociedade mista. 
"Canções dos Mares do Sul" é um belo e grandioso filme que reflete questões pertinentes e que carrega uma mensagem engrandecedora e elucidativa, nada como olhar com mais carinho para o outro e entender a sua própria história e a do lugar em que se vive.  

"Esta história é inspirada por problemas associados com sentimentos de pertencimento cultural e étnico. Cada tentativa de classificação é uma ilusão perigosa que gera medo, hostilidade e opressão... Eu acho que as ideias que funcionam através deste filme são remédios contra o medo. Todos nós pertencemos à mesma raça, à mesma família." - Marat Sarulu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...